RSS

Quanto Custa a RTP?

30 Ago

Mais de 1 Milhão de Euros por dia, diz Mário Crespo:

Podem ler a posição da ERC aqui (basicamente: só actua se houver queixa).
É incrível como a Comissão de Trabalhadores da RTP julga que vai a algum lado com esta táctica…

Recordo agora um antigo artigo do Jornal de Negócios sobre este mesmo custo:

De acordo com a Direcção-Geral do Tesouro e Finanças, as indemnizações compensatórias recebidas pela RTP foram de:

  • 143,1 milhões de euros em 2009
  • 145,86 milhões de euros em 2010
  • 109,5 milhões de euros em 2011
  •   90 milhões de euros em 2012 (de acordo com o diploma que define as indemnizações compensatórias para este ano).

Estes valores integram o IVA que a RTP, depois, tem de devolver ao Estado.

De acordo com dados da Direcção-Geral do Tesouro, as transferências de capital na RTP foram de:

  •   62,4 milhões de euros em 2009
  • 120,3 milhões de euros em 2010
  •   66,2 milhões de euros em 2011
  • 348,3 milhões de euros em 2012 (de acordo com a execução orçamental, o Estado transferiu este ano este montante para a RTP para pagar empréstimos bancários).

De acordo com os relatórios e contas da RTP, as contribuições do audiovisual foram de:

  • 115,3 milhões de euros em 2009
  • 109,6 milhões de euros em 2010
  • 151,1 milhões de euros em 2011

Para comparação, as outras estações de televisão, de acordo com os seus relatórios de contas…

  • A SIC, que opera 5 canais (SIC, SIC-N, SIC-M, SIC-R, SIC-K), gasta 140 milhões
  • A TVI, que opera 3 canais (TVI, TVI 24, TVI Internacional) mais rádio, e gasta 230 milhões

Leitura recomendada: o Deputado Michael Seufert sobre o Serviço Público de Televisão.

Adenda: Para contrariar esta análise e justificar o custo de mais de um milhão de Euros por dia, os argumentos que tenho visto são meramente emocionais. Mas o melhor exemplo é mesmo este de João Adelino Faria no Dinheiro Vivo:

Em criança, foi através dela que descobri que havia um mundo imenso para lá da vila onde nasci. Quando chegou a cor, era adolescente e foi através dela que aprendi as primeiras lições de vida. Como jovem, foi com ela que viajei e sonhei. Como universitário, foi com ela que tive a certeza de que queria ser jornalista. Quando entrei para a SIC, foi nela que procurei inspiração. Hoje, é nela que trabalho e com orgulho apresento o Telejornal.

A RTP não é apenas uma empresa! É uma casa que faz parte de Portugal enquanto Nação, Pátria, País, Cultura e História. É um património e uma parte da vida de muitas gerações. Foi instrumento da ditadura e da democracia. Foi escola para milhares de profissionais e universidade para muitos que hoje trabalham, do jornalismo à política. Foi o último reduto para combater injustiças, ajudar os que não tinham outro meio para contar as suas histórias e companhia para quem não tinha mais ninguém. Foi com ela que rimos e chorámos todos, muito, ao longo das nossas vidas. Não há português que não tenha a sua história com a RTP. Foi durante muito tempo o orgulho de todos nós e não apenas dos que nela trabalham.

Por tudo isto, é com grande tristeza que vejo por estes dias esta casa ser atacada na rua e nos jornais sem piedade e sem razão. Um ataque generalizado e fácil, por vezes movido por interesses egoístas, implacáveis, ou simplesmente por objetivos incendiários de quem gostaria de a ver desaparecer. Indigna-me sobretudo ver como alguns jornalistas que aqui trabalharam atacam com ódio a casa onde, ironicamente, aprenderam quase tudo e graças à qual são alguém na vida!

Por esta ordem de ideias, qualquer ideia excêntrica que queime dinheiro é justificável. Podia-se justificar assim ter uma armada de Naus, a revitalização de um castelo com um grupo de teatro/animação permanente, ou até a re-activação de qualquer entidade pública que se tenha extinguido. Sentimentalismos de quem trabalhou numa empresa não é argumento para justificar tamanho custo sobre a classe média Portuguesa.

Hoje quem quer ver o mundo vai à internet. Google Maps, Ryanair, todos os meios de comunicação: está tudo lá. Esteja o Português em Lisboa, em Dili ou no Zimbabué. Eu por exemplo já não vejo a RTP na minha casa há anos. A RTP prestou um serviço importante à nação até a chegada da internet. Hoje, como todas as estações estatais Europeias, não se justifica. Ou dá lucro, ou…

 

Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: