RSS

“O Economista Insurgente, 101 perguntas incómodas sobre Portugal”

13 Maio

Um dos autores, sobre o livro, n’O Insurgente:

O Economista Insurgente (1)

Na próxima sexta-feira será lançado pela Editora Esfera dos Livros o livro “O Economista insurgente, 101 perguntas incómodas sobre Portugal”, que tive o prazer de escrever com o Miguel Botelho Moniz e o Ricardo Gonçalves Francisco. O livro já está disponível em pré-lançamento na Wook e Fnac. A data e hora da sessão de apresentação será comunicada em breve.

Antes de definir o que o livro é, convém esclarecer o que não é. Não é um panfleto ideológico, salvo para aqueles que achem que a simples menção de argumentos económicos é, por si, uma demonstração de ideologia. Não é um tratado académico, nem aspira a ter o nível de detalhe de um documento académico, caso contrário teríamos que reduzir o número de perguntas de 101 para 5 ou lançar uma colecção em fascículos em vez de um livro de 200 páginas. Não é também um freakonomics à portuguesa. Embora parta do mesmo princípio de analisar questões políticas e sociais do dia a dia sob a perspectiva de alocação de recursos e incentivos, ou seja seguindo uma análise económica, o tipo de assuntos tratados são um pouco diferentes, mais sérios e recorrentes. É um livro que pode ser lido por economistas mas é acima de tudo destinado a não-economistas. Tentamos responder de forma simples, directa e sem contemplações politicamente correctas a questões importantes e recorrentes que se mantêm mal esclarecidas. “Porque é que ganhamos menos que os alemães?”, “ Porque é que os transportes públicos estão sempre em greve?” ou “O que aconteceria se saíssemos do Euro?”, são questões tão importantes e tão frequentes como mal esclarecidas. Pretendemos também dentro do possível esclarecer falácias que de tão repetidas se tornam senso comum, moldam a opinião de eleitores e a actuação política. O efeito da ignorância de alguns conceitos económicos básicos é em si uma ameaça ao sistema democrático. A ignorância do eleitorado cria um sistema de selecção adversa em que mesmo que existam políticos honestos, que digam a verdade e conheçam as consequências daquilo que prometem, eles tenderão a ser derrotados por políticos desonestos e/ou ignorantes que alimentem e se alimentem da ignorância dos eleitores.

O livro está dividido em 10 capítulos. O primeiro capítulo é dedicado à produtividade e mercado laboral. O segundo é dedicado ao empreendorismo e aos empresários. O terceiro capítulo fala de corrupção. O quarto capítulo fala do sistema de saúde. O quinto capítulo trata de questõs sobre o sistema de ensino. O sexto capítulo fala sobre os diferentes agentes económicos e o funcionamento do Estado. O sétimos capítulo fala sobre a banca. O oitavo capítulo fala sobre a classe política. O nono capítulo sobre a dívida pública e o décimo capítulo sobre o Euro.

O livro sai esta sexta-feira. Ficaremos à espera das primeiras impressões, sempre disponíveis, como sempre, para receber feedback e discutir.

Eu, Ricardo CM, estarei presente no lançamento no Porto. Se estiverem atentos ao blog, a seu tempo darei mais detalhes sobre o mesmo. Mas contem com um final de tarde para o final de Maio.

 
 

Etiquetas: , , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: